Consultores

Catherine Lutz
Catherine Lutz  is the Thomas J. Watson, Jr. Family Professor of Anthropology and International Studies at the Watson Institute for International Studies and Chair, Department of Anthropology at Brown University.  She is the author of Carjacked (with A. Fernandez-Carol, 2010), Breaking Ranks (with M. Gutmann, 2010), The Bases of Empire (ed., 2009), Local Democracy Under Siege (with D. Holland et al., 2007); Homefront (2001); Reading National Geographic (with J. Collins, 1993); and Unnatural Emotions (Chicago, 1988). Lutz is past president of the American Ethnological Society, the largest organization of cultural anthropologists in the US, is recipient of the Leeds Prize, the Victor Turner Prize for Ethnographic Writing, the Delmos Jones and Jagna Sharff Memorial Prize for the Critical Study of North America. She has conducted some of her research in conjunction with activist organizations, including a domestic violence shelter, Cultural Survival, and the American Friends Service Committee.

Cristiana Bastos
Cristiana Bastos é antropóloga e integra o Instituto de Ciências Sociais desde 1990. Os seus interesses situam-se na intersecção da antropologia, história e estudos sociais da ciência, materializando-se em linhas de pesquisa sobre dinâmicas da população, mobilidade transnacional, biopolítica colonial, medicina e império, história social da saúde e do bem-estar; os contextos incluíram o Algarve interior, Brasil urbano, Estados Unidos, Lisboa contemporânea, Goa colonial e África lusófona. Neste momento desenvolve um projeto sobre racialização de migrantes, tendo como contexto de referência as migrações laborais entre impérios.  Entre as publicações recentes contam-se A Circulação do Conhecimento (Imp. Ciências Sociais- 2013), Clínica, Arte e Sociedade (Imp. Ciências Sociais, 2011), Healing Holidays (Anthropology & Medicine 2011) e Parts of Asia(Portuguese Literary & Cultural Studies 2010).  É atualmente coordenadora do grupo de investigação Identities, no ICS. Colaborou e colabora com diversos programas de pós-graduação na Universidade de Lisboa, ISCTE, Coimbra, Brown University, University of Massachusetts-Dartmouth, e várias universidades brasileiras, entre as quais a Unicamp, Universidade Estadual do Rio de Janeiro e a Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Cristina Sanchéz-Carretero
Es antropóloga, doctora por la Universidad de Pennsylvania.  Premio “Dean’s Scholar 2002” de dicha universidad. Actualmente es científica titular del Instituto de Ciencias de Patrimonio (Incipit) del Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC), donde coordina la especialidad de antropología. Su investigación se centra en los procesos de patrimonialización y tradicionalización en las sociedades contemporáneas; estudio de nuevos rituales de duelo; y la intersección entre los procesos migratorios y la revitalización de prácticas religiosas. Ha publicado sobre estos temas en editoriales como Sage, Palgrave y Berghahn y en revistas como Ethnologia Europaea y Journal of American Folklore. Entre sus libros más recientes destacan El Archivo del Duelo. Análisis de la respuesta ciudadana ante los atentados del 11 de marzo en Madrid (Madrid: CSIC, 2011) y Grassroots Memorials. The Politics of Memorializing Traumatic Death (Oxford: Berghahn, 2011), editado junto con Peter Jan Margry.

David Ingleby
Univeristy of Utrecht, Holanda

Eric Gable
Eric Gable, Professor de Antropologia, obteve o grau de Doutoramento em Antropologia (1990) na Universidade da Virginia. O Doutor Gable realizou pesquisa de terreno na Guiné-Bissau, em Sulawesi, Indonésia, em Williamsburg, e em Monticello, USA.  É autor de Anthropology and Egalitarianism (2011) e co-autor  de The New History in an Old Museum: Creating the Past at Colonial Williamsburg (1997). Tem artigos publicados em várias revistas, incluindo American AnthropologyJournal of American HistoryAmerican Ethnologist, e Cultural Anthropology. É editor pareceristada American Ethnologist, diretor de edição do Museum and Society,  e antigo membro do conselho editorial  da Cultural Anthropology. É especialista em estudos sobre museus, património, e em religião e política da Africa Ocidental e das Ilhas externas da Indonésia.

Françoise Lestage
Françoise Lestage é Professora na Universidade Paris Diderot e investigadora do URMIS (Unité de Recherches Migrations et Sociétés). Os seus trabalhos versam a antropologia  das etapas do ciclo vital, em particular a infância (um livro em 1999, Paris, L’Harmattan, um outro no México en 2011), a reprodução assistida (projecto 2014) e a morte (com vários artigos publicados) ; por outro lado, tem trabalhado sobre a antropologia das migrações, nomeadamente acerca dos efeitos identitários, sociais e políticos (livro publicado em Paris, 2008,  e outro em Tijuana, 2011) e a relação entre o Estado e os imigrantes, a partir dos estudos de caso realizados em várias regiões do México e com os imigrantes mexicanos nos Estados Unidos.

João de Pina Cabral
Professor de Antropologia Social, Escola de Antropologia e Conservação, Universidade de Kent, Canterbury, Reino Unido. É Investigador Coordenador e Responsável pela Linha Temática “Identidades, Migrações e Religião” no Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Lisboa. Foi Professor Visitante em várias universidades no Brasil, em Espanha, Moçambique, Macau e Estados Unidos da América. Foi Presidente fundador da Associação Portuguesa de Antropologia e foi membro fundador, Secretário (1995-1997) e Presidente (2003-2005) da Associação Europeia de Antropólogos Sociais.  Entre 1997 e 2004 foi Presidente do Conselho Científico do Instituto de Ciências Sociais, tendo dirigido a transformação do ICS em Laboratório Associado. Foi Malinowski Memorial Lecturer (London School of Economics and Political Science, 1992); Distinguished Speaker (Society for the Anthropology of Europe, AAA, 1992); Stirling Memorial Lecturer, (University of Kent, UK, 2003); Oração de Sapiência (Univ. Lisbon 1999); Aula Ernesto Veiga de Oliveira (ISCTE 2006) e proferiu as palestras inaugurais do Programa de Pósgraduação em Antropologia Social da UNICAMP (Brasil, 2006) e do Mestrado em Antropologia Social da Universidade de Barcelona (2007).

Maurice Bloch
Professor Maurice Bloch obteve a sua formação na London School of Economics e na Universidade de Cambridge. Realizou investigação de terreno entre os cultivadores de arroz e agricultores sazonais em Madagáscar, e em outras partes do mundo, incluindo o Japão. Em parte devido a sua experiência francesa, Bloch combina abordagens britânicas e francesas e foi instrumental na introdução do renascimento da teoria marxista francesa para os antropólogos britânicos. Seus interesses focaram-se na noção de ideologia, e escreveu também sobre ritual e linguagem. Atualmente trabalha na relação entre as descobertas da psicologia cognitiva com a antropologia. Maurice Bloch lecionou nos EUA, em França e na Suécia, e é membro da Academia Britânica.

Susana Trovão
Susana Trovão é doutorada em Antropologia, docente no departamento de Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e directora para a investigação da mesma faculdade. Tem várias publicações na área das migrações em livros e revistas nacionais e internacionais.

Valentina Mazzucato

 

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.